Estudo mostra que a técnica operatória de prótese pode interferir na tumescência peniana após a cirurgia

Introdução
A tumescência peniana espontânea após o implante da prótese peniana tem sido esporadicamente relatada na literatura. Como preservar a função erétil residual da tumescência peniana espontânea dos pacientes, poupando o tecido cavernoso no curso do implante de prótese peniana maleável?

Métodos
92 pacientes foram randomizados em dois braços iguais: pacientes submetidos a implante de prótese peniana maleável convencional e pacientes submetidos à técnica de preservação do tecido cavernoso. Um mês após a cirurgia, esses pacientes foram submetidos a exame ecográfico duplex peniano para avaliar a espessura máxima do tecido cavernoso ao redor dos cilindros do implante. Além disso, eles foram questionados sobre a ocorrência de qualquer tumescência peniana espontânea ou induzida por excitação.

Medidas de saída principais
As alterações pós-operatórias foram comparadas com as pré-operatórias.

Resultados
A média da espessura máxima do tecido cavernoso mostrou-se significativamente maior no grupo de tecido cavernoso preservado em comparação com o grupo de cirurgia convencional (5,2 ± 0,8 mm vs 2,2 ± 1,04 mm, P <0,01). No grupo preservado de tecido cavernoso, 41 de 46 pacientes (89,13%) relataram ter uma incidência significativamente maior de tumescência peniana residual versus 7 de 46 pacientes (15,2%) no grupo de cirurgia convencional (P <0,001). O perímetro peniano pós-operatório foi significativamente maior no grupo poupador de tecido cavernoso do que no grupo de cirurgia convencional (11,16 ± 1,1 cm vs. 10,11 ± 1,15 cm, P <0,001).

Implicações clínicas
Este estudo fornece uma abordagem passo a passo para manter a tumescência peniana pós-implante e preservar o perímetro peniano de forma reproduzível.

Pontos fortes e limitações
Este é o primeiro estudo a demonstrar os benefícios da implantação de uma prótese peniana enquanto o pênis está num estado tumescente induzido farmacologicamente. É também o primeiro a utilizar a ultrassonografia na avaliação do tecido corporal pós-operatório. As principais limitações são o curto período de acompanhamento pós-operatório e o não-cegamento das medidas.

Conclusão
Pode-se concluir que a técnica de preservação do tecido cavernoso é uma técnica reprodutível que tem o valor agregado de preservar a função erétil residual na forma de tumescência peniana no pós-operatório retido e perímetro peniano preservado.

No vídeo acima apresentamos o aspecto do pênis de dois pacientes submetidos a implante de prótese peniana semi-rígida. Os vídeos foram gravados quatro semanas após a cirurgia, quando normalmente o paciente é reavaliado e liberado para reiniciar as relações sexuais.

Recomendamos para que, os pacientes que tenham interesse na colocação de uma prótese peniana, leiam o post https://www.alessandrorossol.com.br/blog/perguntas-e-respostas-sobre-protese-peniana/ . Este tópico de perguntas e respostas é um canal aberto com o  especialista. Ali o paciente poderá esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto. E se ainda permanecer algum questinamento, escreva, envie sua pergunta. Ou marque uma consulta para um atendimento com o Dr. Rossol.

Fonte Bibliográfica: 

Spontaneous Penile Tumescence by Sparing Cavernous Tissue in the Course of Malleable Penile Prosthesis Implantation.

Zaazaa A, Mostafa T.

J Sex Med 2019;16:474–478.

https://www.jsm.jsexmed.org/article/S1743-6095(19)30013-X/fulltext

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Download Formulários

Biópsia por Agulha

Biópsia Prostática

Cirurgia da Curvatura Peniana na Doença de Peyronie

Cistolitotomia

Cistolitotomia Videolaparoscópica

Cistolitotripsia Transcistoscópica

Colocação de Cateter Duplo J Trasureteral

Correção Cirúrgica de Incontinência Urinária

Geral - Operações Cirúrgicas

Implante de Prótese Peniana Maleável

Litotripsia Extracorpórea por Ondas de Choque (LECO)

Nefrectomia Parcial por Calculose

Nefrectomia Radical com ou sem Linfadenectomia Retroperitonial

Nefrectomia Videolaparoscópica

Nefrectomia Videolaparoscópica do Rim Doador do Transplante Renal

Nefrolitotomia Anatrófica por Calculose Renal

Nefrolitotomia Simples por Calculose Renal

Nefrolitotripsia Associada à Endopielotomia Percutânea

Nefrolitotripsia Percutânea

Nefrolitotripsia Transureteroscópica

Nefrolitotripsia Transureteroscópica com Endopielotomia

Nefropaxia Videolaparoscópica

Nefrostomia Percutânea

Orquidopexia

Orquiectomia Bilateral

Orquiectomia Unilateral por via Inguinal

Pielolitotomia (Calculose Renal)

Pieoloplastia Videolaparoscópica

Postectomia

Prostatectomia para H.P.B. Transvesical ou Retropúbica

Prostatectomia Radical Retropúbica com Linfadenectomia

Prostatectomia Radical Videolaparoscópica

Ressecção Transuretral da Próstata

Ressecção Transuretral de Tumor Vesical

Tratamento Cirúrgico da Hidrocele

Tratamento Cirúrgico da Varicocele

Tratamento Cirúrgico Videolaparoscópico de Cisto Renal

Tratamento Endoscópico da Ureterocele

Ureterolitotomia

Ureterolitotripsia Transureteroscópica

Uretrotomia interna

Ureterolitotomia Videolaparoscópica

Nefroureterectomia Videolaparoscópica

Uretroplastia

Vasectomia

Correção cirúrgica de tortuosidade peniana congênita

Open chat
1
💬 Alguma dúvida?
Olá 👋🏻 Podemos te ajudar?