Cistoscopia, Urofluxometria e Urodinâmica

CISTOSCOPIA

A cistoscopia, ou cistouretroscopia, é um exame onde o urologista visualiza a uretra, a próstata e a bexiga com um aparelho chamado cistoscópio. O cistoscópio é composto por fibras ópticas que, com ajuda de uma fonte de luz externa, transmitem a imagem do interior destas estruturas ao olho do médico ou a uma câmera adaptada ao cistoscópio (com imagem projetada em um monitor).
As principais indicações de cistoscopia são:
– investigação de hematúria (sangue na urina),
– sintomas urinários obstrutivos (prostatismo, por exemplo),
– incontinência urinária (perda de urina),
– sintomas urinários irritativos (cistite intersticial, por exemplo),
– suspeita de tumor de bexiga,
– investigação de pacientes com infecção urinária de repetição (muito comum em mulheres).
Alguns cuidados importantes devem ser tomados antes da realização deste exame. Um exame simples de urina (EQU) juntamente com urocultura devem sempre ser realizados previamente para avaliar presença de infecção urinária. Se confirmada infecção, esta deverá ser tratada anteriormente e somente depois de alguns dias a cistoscopia poderá ser realizada. O paciente deverá vir com acompanhante e não poderá conduzir veículos após a alta ambulatorial.
O exame é realizado em ambiente hospitalar, mas sem necessidade de internação. É de caráter ambulatorial. A duração do exame é de aproximadamente 10 minutos. Em mulheres, pela presença de uma uretra curta, o exame é usualmente realizado com anestesia tópica, somente com aplicação de geléia de xilocaína. Em homens a anestesia poderá ser tópica ou com sedação anestésica. Neste último caso, um médico anestesista acompanha, anestesia e monitora o paciente durante o procedimento.
Após o exame, um laudo é fornecido ao paciente com todas informações encontradas na cistoscopia.
São normais alguns sinais e sintomas por alguns dias, após a cistoscopia. São eles: sangramento discreto a moderado na urina, desconforto ou ardência no canal urinário, dor em baixo ventre e sangramento no esperma.
O Dr. Rossol realiza cistoscopias com um cistoscópio rígido alemão da marca Strauss, com ótica de 30 graus. A torre de vídeo é composta por um monitor Sony com tela de 20 polegadas. A câmera de vídeo é americana, da marca Linvatec, e  possui 3 chips para uma melhor definição de imagem. A fonte de luz é de xenon, também da marca Linvatec.

UROFLUXOMETRIA

A Urofluxometria é o exame urodinâmico mais simples. É muito utilizado como “rastreamento” de distúrbios da micção ou para acompanhamento do resultado de um tratamento.
Consiste na medida do fluxo de urina através de um equipamento computadorizado. O resultado pode ser comparado com os dados de indivíduos normais de um determinado sexo e faixa etária.
O exame têm a duração do tempo que você demora para urinar e o resultado é entregue imediatamente.
Preparo: o paciente deve comparecer com a bexiga cheia. Pode, também, ingerir líquidos na sala de espera no período que antecede o exame.
*** Para que o exame apresente um resultado fidedigno, é necessário que o volume urinado ultrapasse 150ml.

 
ESTUDO URODINÂMICO

É o exame que estuda a micção. O armazenamento de urina e o esvaziamento da bexiga envolvem uma série de eventos. Distúrbios dessas funções podem provocar alterações que muitas vezes se expressam através de diminuição do jato urinário, retenção urinária, micções diurnas ou noturnas freqüentes, incontinência urinária, dor, etc. O exame urodinâmico serve para determinar se essas funções do aparelho urinário se processam de maneira adequada. Muitas vezes, esse estudo é empregado para acompanhamento e avaliação dos resultados de um determinado tratamento.
Como é realizado?
A primeira parte do exame consta de uma entrevista e esclarecimento de todas as dúvidas relativas ao procedimento. A seguir você vai urinar para medirmos seu fluxo urinário. Procure não urinar de 2 a 3 horas antes do exame.
O exame é realizado através de sondas finas (três mm) colocadas sob anestesia local no interior da uretra e da bexiga. Outra sonda é colocada através do ânus ou vagina. Essas sondas servirão encher a bexiga com soro e,, medir suas pressões durante a realização de todas as etapas do exame. O tempo médio de duração é de uma hora.
Quais são os riscos?
O exame urodinâmico é geralmente bem tolerado. Freqüentemente as mulheres referem que incomoda menos que o exame ginecológico.  A introdução das sondas é feita com o uso de anestésicos locais (gel).
O material empregado é completamente estéril, porém existe risco de infecção urinária. Veja as instruções abaixo.
Após a realização do exame poderá ocorrer aumento da sensibilidade uretral (geralmente até no máximo 24 horas).
Quais são os elementos que permitirão uma melhor avaliação dos resultados?
Trazer uma lista de todos os medicamentos que vem sendo ingeridos; questionários; diários miccionais; exames radiológicos; ecográficos ou qualquer informação médica.

No dia do exame:
– Procure chegar cerca de 30  minutos antes da hora marcada (você terá tempo de ingerir líquidos, fazer o cadastro, etc). 
– Faça uma refeição leve.
– Venha com a bexiga confortavelmente cheia.
– Não urine ao chegar no consultório, pois você terá que urinar no início do exame.

Se não houve alergia a antibióticos da família das QUINOLONAS* siga a seguinte orientação:
LEVOXIN 500 mg (três comprimidos). Ingerir um comprimido duas horas antes do exame. Seguir com um comprimido a cada 24 horas.
OU
Cipro XR um grama (1g). Ingerir um comprimido duas horas antes do exame. Seguir com um comprimido a cada 24 horas.

Se você estiver usando antibióticos, não é necessário ingerir as medicações sugeridas.
Gestantes: Solicitem instruções através do telefone do consultório do médico que realizará o exame.
*Alguns nomes de medicações da família das Quinolonas:
Ciprofloxacina, Norfloxacina, Levofloxacina,(fique atento para as terminações  xacina ou xacin).
Após a avaliação urodinâmica.
Se você recebeu antibiótico, siga rigorosamente à orientação da prescrição.
Você poderá sentir certo grau de desconforto ou ardência uretral que deve desaparecer em 24 horas.
Pode haver algum grau de sangramento urinário que na maioria das vezes se manifesta através de raias de sangue ou pequenas gotas que freqüentemente desaparecem rapidamente.
Atenção para sintomas tais como febre, calafrios, ardência urinária e aumento da freqüência miccional.
Se houver dúvidas, não pense duas vezes, ligue para a nossa clínica ou entre em contato com a Emergência do Mãe de Deus Center.
Não há qualquer restrição quanto à dieta e não é necessário repouso, a menos que você receba orientação específica.
Uma cópia do seu exame estará sempre a sua disposição, basta solicitar.

*** O Dr. Rossol não realiza estudo urodinâmico. Ele encaminha os pacientes com indicação do mesmo a colegas com especialização neste tipo de exame.

0 resposta

  1. No meu procedimento de uretrocistoscopia não sangrou. gostaria de saber se e´normal. Porque dizem que sangra. obrigado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Download Formulários

Biópsia por Agulha

Biópsia Prostática

Cirurgia da Curvatura Peniana na Doença de Peyronie

Cistolitotomia

Cistolitotomia Videolaparoscópica

Cistolitotripsia Transcistoscópica

Colocação de Cateter Duplo J Trasureteral

Correção Cirúrgica de Incontinência Urinária

Geral - Operações Cirúrgicas

Implante de Prótese Peniana Maleável

Litotripsia Extracorpórea por Ondas de Choque (LECO)

Nefrectomia Parcial por Calculose

Nefrectomia Radical com ou sem Linfadenectomia Retroperitonial

Nefrectomia Videolaparoscópica

Nefrectomia Videolaparoscópica do Rim Doador do Transplante Renal

Nefrolitotomia Anatrófica por Calculose Renal

Nefrolitotomia Simples por Calculose Renal

Nefrolitotripsia Associada à Endopielotomia Percutânea

Nefrolitotripsia Percutânea

Nefrolitotripsia Transureteroscópica

Nefrolitotripsia Transureteroscópica com Endopielotomia

Nefropaxia Videolaparoscópica

Nefrostomia Percutânea

Orquidopexia

Orquiectomia Bilateral

Orquiectomia Unilateral por via Inguinal

Pielolitotomia (Calculose Renal)

Pieoloplastia Videolaparoscópica

Postectomia

Prostatectomia para H.P.B. Transvesical ou Retropúbica

Prostatectomia Radical Retropúbica com Linfadenectomia

Prostatectomia Radical Videolaparoscópica

Ressecção Transuretral da Próstata

Ressecção Transuretral de Tumor Vesical

Tratamento Cirúrgico da Hidrocele

Tratamento Cirúrgico da Varicocele

Tratamento Cirúrgico Videolaparoscópico de Cisto Renal

Tratamento Endoscópico da Ureterocele

Ureterolitotomia

Ureterolitotripsia Transureteroscópica

Uretrotomia interna

Ureterolitotomia Videolaparoscópica

Nefroureterectomia Videolaparoscópica

Uretroplastia

Vasectomia

Correção cirúrgica de tortuosidade peniana congênita

Open chat
1
💬 Alguma dúvida?
Olá 👋🏻 Podemos te ajudar?