Pesquisar
Close this search box.

Tratamento da Hidrocele sem Cirurgia

Aspiração e Escleroterapia de Hidroceles e Espermatoceles

Fico muito feliz que você esteja interessado em realizar o tratamento da sua hidrocele sem cirurgia. Tenho realizado aspiração e escleroterapia de líquido escrotal desde 2024. Aprendi a fazê-lo com o Dr. Laurence Levine, professor de Andrologia da Universidade de Chicago, quando realizei um mini-fellowship na RUSH University. Desde então, indico este procedimento ambulatorial para que pacientes como você possam vir de todos os Estados do Brasil e evitar uma cirurgia.

 

Uma pergunta frequente é por que sou um dos poucos médicos que oferece esse procedimento no Brasil. Acho que a resposta principal é que muito poucas pessoas são treinadas para fazer isso. Na verdade, é uma maneira bastante simples e muito bem-sucedida de tratar hidroceles e espermatoceles maiores, em comparação com a retirada cirúrgica dessas estruturas. 

Hidrocele

A clara vantagem da abordagem aspirativa e escleroterapia é que ela pode ser realizada no consultório, sob anestesia local com auxílio de ultrassom, não requer nenhuma incisão ou dreno após o procedimento e tem taxa de recorrência semelhante à cirurgia aberta de hidroceles ou espermatoceles.

No momento do procedimento, você fará um ultrassom para examinar a coleção de fluidos e garantir que não haja septações significativas. Estas são paredes que podem se formar dentro do espaço escrotal e se as paredes estiverem completas e houver muitas delas, isso provavelmente interferiria no sucesso da aspiração. Isto ocorre porque cada câmara pode ser separada. Mas muitas vezes descobrimos que essas septações, especialmente se houver apenas 1 ou 2 delas, podem estar incompletas e, portanto, a aspiração pode ser realizada com sucesso com subsequente instilação do medicamento esclerosante que seria então distribuído por todo o interior da hidrocele ou saco da espermatocele. 

Você também receberá um bloqueio do cordão espermático usando uma pequena agulha para injetar o anestésico local de longa duração no cordão que transporta a maioria dos nervos que atendem aquela área.

O objetivo do medicamento esclerosante é criar uma resposta inflamatória na parede interna da hidrocele ou espermatocele. A esperança aqui é que esta inflamação deixe cicatrizes nas células que estão produzindo o fluido e então o processo natural de reabsorção de fluido permitiria que qualquer pequeno fluido deixado para trás ou que seria criado no futuro, fosse reabsorvido como ocorre no escroto normal saudável. 

Você deve saber que em até 60% dos pacientes após a instilação do medicamento há reacúmulo de líquido como resultado da resposta inflamatória. Isso pode ocorrer dentro de 24 a 72 horas após o procedimento e pode parecer que você nunca realizou a aspiração. É por isso que esperamos de 8 a 12 semanas para realizar a nossa 1ª avaliação do sucesso do procedimento. Isso é

porque geralmente durante esse período de 8 a 12 semanas o fluido restante será simplesmente reabsorvido. 

Se houver líquido residual depois de 8 a 12 semanas que você considere incômodo, realizamos uma segunda aspiração para que o líquido restante seja simplesmente esvaziado. Nenhum medicamento adicional precisa ser instalado nesta segunda aspiração. 

Conforme relatos do Dr. Levine, ao longo da última década nenhum paciente necessitou de uma 2ª escleroterapia nem fazer uma hidrocelectomia aberta ou espermatocelectomia. Também tem sido extremamente raro nos últimos 25-30 anos que um homem que teve resolução completa da hidrocele e espermatocele tenha tido uma recorrência 5 ou 10 anos depois. Portanto, trata-se de um procedimento razoavelmente eficaz, seguro e durável.

A dor após o procedimento é variável. Descobrimos que 90% dos pacientes não apresentam dor ou apresentam um grau muito baixo de desconforto que pode durar alguns dias após o procedimento. Recomendamos Tylenol ou Dipirona para tratar essa dor. 

É evidente que o uso de um medicamento anti-inflamatório é absolutamente contra-indicado, pois iria contra o propósito da escleroterapia. Portanto, NÃO use Motrin, Advil, Cataflan, Voltaren, Ibuprofeno, Naproxeno ou esteróides de qualquer tipo após o procedimento. Também não tomar nenhum desses medicamentos por 3-4 dias antes do procedimento. 

Um saco de gelo pode ser aplicado na área púbica acima do pênis, mas não diretamente no escroto, porque novamente isso pode ter um efeito anti-inflamatório que pode interferir no sucesso do tratamento.

A inflamação será nossa “amiga” no processo de cura!

Após o procedimento, você poderá descansar na clínica por aproximadamente 15 a 30 minutos para que possamos ter certeza de que é seguro liberá-lo quando se sentir confortável. Se você estiver sentindo dor significativa, nós lhe daremos um analgésico mais potente antes da liberação. Caso contrário, apenas o Tylenol ou a Dipirona de venda livre podem ser tudo o que é necessário. 

Após o procedimento, você poderá voltar para casa ou para um hotel próximo da nossa Clínica. Deverá ficar descansando durante a primeira noite após o procedimento e elevar o escroto com uma toalha por baixo. Algumas pessoas sentem uma irradiação de dor na região pélvica ou no abdômen, que também pode estar associada a náuseas. É extremamente raro que as pessoas tenham vômitos, mas se tiver vômitos frequentes, você deve ir ao pronto-socorro para evitar a desidratação. Entretanto é sabido que este efeito adverso é muito raro.

Dr. Alessandro Rossol 

Médico Urologista especializado em Andrologia

Membro AUA – Associacão Americana de Urologia

Membro da ISSM – Sociedade Internacional de Medicina Sexual

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Download Formulários

Biópsia por Agulha

Biópsia Prostática

Cirurgia da Curvatura Peniana na Doença de Peyronie

Cistolitotomia

Cistolitotomia Videolaparoscópica

Cistolitotripsia Transcistoscópica

Colocação de Cateter Duplo J Trasureteral

Correção Cirúrgica de Incontinência Urinária

Geral - Operações Cirúrgicas

Implante de Prótese Peniana Maleável

Litotripsia Extracorpórea por Ondas de Choque (LECO)

Nefrectomia Parcial por Calculose

Nefrectomia Radical com ou sem Linfadenectomia Retroperitonial

Nefrectomia Videolaparoscópica

Nefrectomia Videolaparoscópica do Rim Doador do Transplante Renal

Nefrolitotomia Anatrófica por Calculose Renal

Nefrolitotomia Simples por Calculose Renal

Nefrolitotripsia Associada à Endopielotomia Percutânea

Nefrolitotripsia Percutânea

Nefrolitotripsia Transureteroscópica

Nefrolitotripsia Transureteroscópica com Endopielotomia

Nefropaxia Videolaparoscópica

Nefrostomia Percutânea

Orquidopexia

Orquiectomia Bilateral

Orquiectomia Unilateral por via Inguinal

Pielolitotomia (Calculose Renal)

Pieoloplastia Videolaparoscópica

Postectomia

Prostatectomia para H.P.B. Transvesical ou Retropúbica

Prostatectomia Radical Retropúbica com Linfadenectomia

Prostatectomia Radical Videolaparoscópica

Ressecção Transuretral da Próstata

Ressecção Transuretral de Tumor Vesical

Tratamento Cirúrgico da Hidrocele

Tratamento Cirúrgico da Varicocele

Tratamento Cirúrgico Videolaparoscópico de Cisto Renal

Tratamento Endoscópico da Ureterocele

Ureterolitotomia

Ureterolitotripsia Transureteroscópica

Uretrotomia interna

Ureterolitotomia Videolaparoscópica

Nefroureterectomia Videolaparoscópica

Uretroplastia

Vasectomia

Correção cirúrgica de tortuosidade peniana congênita

Contato via WhatsApp
1
💬 Tire todas suas dúvidas conosco!
Olá, Fale diretamente com a equipe do Dr Rossol.