Pesquisar
Close this search box.

Quais são os riscos de contrair infecções sexualmente transmissíveis através do sexo oral?

sexo-oral

IST: Infecção Sexualmente Transmissível

DST: Doença Sexualmente Transmissível

O envolvimento em atividades sexuais pode trazer prazer e promover a intimidade entre parceiros, mas é essencial compreender os riscos envolvidos, especialmente no que diz respeito às infecções sexualmente transmissíveis (IST).

Embora muitas pessoas estejam conscientes dos riscos associados às relações sexuais vaginais ou anais, o potencial de transmissão de IST através do sexo oral é muitas vezes ignorado.

O artigo seguinte explorará os riscos de contrair DSTs através do sexo oral e discutirá estratégias eficazes para reduzir esses riscos.

Compreendendo os riscos: Ao contrário dos equívocos comuns, o sexo oral não é totalmente isento de riscos quando se trata de DSTs. Embora o risco de transmissão de algumas infecções possa ser menor em comparação com relações sexuais vaginais ou anais, ainda é possível contrair várias IST através do contacto oral-genital.

DSTs como clamídia, gonorreia, sífilis, herpes e papilomavírus humano (HPV) podem ser transmitidas através do sexo oral. Além disso, a transmissão do VIH também é uma preocupação, embora o risco seja geralmente menor em comparação com o sexo vaginal e especialmente anal.

As DSTs mencionadas acima podem ser transmitidas dos órgãos genitais de uma pessoa infectada para a boca da pessoa que faz sexo oral, ou da boca de uma pessoa infectada para os órgãos genitais do seu parceiro sexual. Por exemplo, a clamídia e a gonorréia, que são infecções bacterianas, podem infectar a garganta quando se pratica sexo oral nos órgãos genitais de um parceiro infectado. Então, uma pessoa com uma infecção de garganta dessa natureza poderia transmiti-la aos órgãos genitais de outra pessoa, fazendo-lhes sexo oral.

O herpes, causado pelo vírus herpes simplex (HSV), pode ser transmitido através do contato com feridas de herpes (bolhas ou úlceras) presentes nos órgãos genitais ou na boca. Embora o HSV-1 esteja geralmente associado ao herpes oral e o HSV-2 esteja geralmente associado ao herpes genital, ambos os tipos podem ser transmitidos para qualquer local através do sexo oral.

Reduzindo o risco: Felizmente, existem várias medidas que os indivíduos podem tomar para reduzir o risco de contrair DSTs através do sexo oral.

Comunicação: A comunicação aberta e honesta entre parceiros sexuais é crucial. Discutir saúde sexual, testes de DST e limites pode ajudar a garantir que ambos os parceiros estejam na mesma página e possam tomar decisões informadas sobre as suas atividades sexuais.

Testes de DST: Testes regulares de DST são essenciais para qualquer pessoa sexualmente ativa, incluindo aqueles que praticam sexo oral. Fazer testes regularmente pode detectar infecções precocemente e facilitar o tratamento oportuno, reduzindo o risco de transmissão aos parceiros.

Uso de preservativos: Embora os preservativos tradicionais sejam concebidos para relações sexuais vaginais ou anais, os preservativos com sabor podem ser usados ​​durante o sexo oral para proporcionar uma barreira entre a boca e os órgãos genitais, reduzindo o risco de transmissão de DST. No entanto, é importante notar que os preservativos não oferecem protecção completa contra todas as IST, especialmente aquelas transmitidas através do contacto pele a pele, como o herpes e o HPV.

Barragens dentárias: As barragens dentárias são folhas finas e flexíveis de látex ou poliuretano que podem ser usadas como barreira durante o sexo oral. Colocar uma barreira dentária sobre os órgãos genitais ou o ânus cria uma barreira entre a boca e os fluidos corporais potencialmente infecciosos, reduzindo o risco de transmissão de DSTs.

Limitar Parceiros: Limitar o número de parceiros sexuais e escolher parceiros que tenham sido testados para DSTs também pode reduzir o risco de infecção. O envolvimento em atividades sexuais dentro de um relacionamento mutuamente monogâmico com um parceiro livre de IST pode reduzir significativamente o risco de transmissão de IST.

É importante reconhecer que a transmissão de DST pode ocorrer durante o sexo oral. Compreender os riscos associados ao sexo oral e tomar medidas proativas para reduzir esses riscos são passos vitais na proteção da saúde sexual. Ao priorizar a saúde sexual e adotar estratégias de redução de risco, os indivíduos podem desfrutar da intimidade do sexo oral, minimizando ao mesmo tempo o risco de transmissão de IST.

Fonte Bibliográfica:

https://www.issm.info/sexual-health-qa/what-are-the-risks-of-contracting-sexually-transmitted-infections-through-oral-sex

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Download Formulários

Biópsia por Agulha

Biópsia Prostática

Cirurgia da Curvatura Peniana na Doença de Peyronie

Cistolitotomia

Cistolitotomia Videolaparoscópica

Cistolitotripsia Transcistoscópica

Colocação de Cateter Duplo J Trasureteral

Correção Cirúrgica de Incontinência Urinária

Geral - Operações Cirúrgicas

Implante de Prótese Peniana Maleável

Litotripsia Extracorpórea por Ondas de Choque (LECO)

Nefrectomia Parcial por Calculose

Nefrectomia Radical com ou sem Linfadenectomia Retroperitonial

Nefrectomia Videolaparoscópica

Nefrectomia Videolaparoscópica do Rim Doador do Transplante Renal

Nefrolitotomia Anatrófica por Calculose Renal

Nefrolitotomia Simples por Calculose Renal

Nefrolitotripsia Associada à Endopielotomia Percutânea

Nefrolitotripsia Percutânea

Nefrolitotripsia Transureteroscópica

Nefrolitotripsia Transureteroscópica com Endopielotomia

Nefropaxia Videolaparoscópica

Nefrostomia Percutânea

Orquidopexia

Orquiectomia Bilateral

Orquiectomia Unilateral por via Inguinal

Pielolitotomia (Calculose Renal)

Pieoloplastia Videolaparoscópica

Postectomia

Prostatectomia para H.P.B. Transvesical ou Retropúbica

Prostatectomia Radical Retropúbica com Linfadenectomia

Prostatectomia Radical Videolaparoscópica

Ressecção Transuretral da Próstata

Ressecção Transuretral de Tumor Vesical

Tratamento Cirúrgico da Hidrocele

Tratamento Cirúrgico da Varicocele

Tratamento Cirúrgico Videolaparoscópico de Cisto Renal

Tratamento Endoscópico da Ureterocele

Ureterolitotomia

Ureterolitotripsia Transureteroscópica

Uretrotomia interna

Ureterolitotomia Videolaparoscópica

Nefroureterectomia Videolaparoscópica

Uretroplastia

Vasectomia

Correção cirúrgica de tortuosidade peniana congênita

💬 Tire todas suas dúvidas conosco!