Entenda como funciona a prótese peniana

Muitos homens sofrem com a disfunção erétil, que é a incapacidade de ter uma ereção ou de mantê-la com rigidez suficiente para uma relação sexual satisfatória. Apesar de frustrante, o problema tem tratamento e o primeiro passo é procurar ajuda de um urologista para descobrir as causas da impotência.
Uma das alternativas do tratamento é a prótese peniana ou implante peniano. Apesar de não poder ser tratada com a primeira opção de tratamento, é um procedimento com altas taxas de satisfação. Implantada no interior do pênis, a prótese é capaz de produzir uma ereção e dar uma vida sexual satisfatória ao paciente.
É importante pontuar, porém, que a prótese não aumenta o tamanho ou o calibre do pênis. O que ocorre é que, para que o implante seja bem sucedido, o cirurgião precisa fazer a reconstrução dos tecidos, recuperando o tamanho e calibre originais do pênis.
A decisão de colocar uma prótese deve ser feita após conversar com um urologista e avaliar todas as opções disponíveis. Abaixo respondemos algumas das questões principais sobre próteses penianas.

Qual tipo de prótese escolher?
As duas próteses mais utilizadas são as semirrígidas ou maleáveis e as infláveis. Para decidir qual tipo implantar, a decisão deve ser feita em conjunto com o urologista e fatores como estilo de vida do paciente, anatomia do pênis e custos devem ser levados em consideração.
Semirrígida ou maleável: a prótese é formada por duas hastes metálicas revestidas com silicone. Ela mantém o pênis constantemente ereto, mas pode ser ajustada em três posições, permitindo tanto a vida íntima quanto o conforto durante o dia a dia, quando é possível, por
exemplo, dobrá-la para urinar. Esse modelo tem a vantagem de não ocasionar vazamentos líquidos e ter baixa necessidade de troca. O funcionamento é bastante simples. Para ter relações sexuais, é só colocar o pênis na posição ereta.

PXL_20210209_113425662

Aspecto do pênis no final de uma cirurgia de implante de prótese peniana semi-rígida.

PXL_20210209_113405305

Inflável: o pênis se mantém flácido e um mecanismo dentro da bolsa testicular é acionado pelo homem quando ele quiser ter relações sexuais. Por ser mais discreta, possibilitando o pênis retornar à flacidez, esse modelo acaba sendo o primeiro a ser considerado. Mas, para que ela funcione adequadamente, o processo tem que ser preciso. A ereção é produzida pela manipulação de uma espécie de bombinha localizada no escroto. A bomba contém soro fisiológico, que percorre cilindros implantados no membro. Desta forma, o sistema hidráulico é ativado e infla, ocasionando a ereção. Após o sexo, a válvula, que também está na bolsa escrotal, precisa ser pressionada para que o líquido retorne para o reservatório, e o pênis volte a sua posição de repouso.

Para quem a prótese peniana é indicada? 

Por ser irreversível, a cirurgia é indicada para homens com disfunção erétil que tenham tentado outros tipos de tratamento, como o uso de medicamentos, e não tenham obtido os resultados esperados.

Como é a cirurgia?
A cirurgia, que dura de duas a três horas, é realizada em hospitais e normalmente requer um dia de internação. Na maioria dos casos, é realizada anestesia raquidiana mais sedação.
Recomenda-se o afastamento das atividades normais por sete dias.

Como é o processo de recuperação?
A recuperação pode ser demorada e requer atenção aos cuidados pós-operatórios. Cada caso deve ser avaliado pelo médico, mas em geral, o tempo para que o paciente comece a ter relações sexuais é de seis semanas após a cirurgia. Durante esse período, recomenda-se manter o pênis para cima, para que a cicatrização não fique dobrada para baixo; manter a região higienizada; e evitar atividades físicas mais intensas e esportes de maior impacto nos primeiros dois meses.
Como todo procedimento cirúrgico, o implante também pode apresentar riscos no pós-operatório como infecções, rejeição da prótese e adesão da prótese aos tecidos internos do pênis. Por isso, é importante que o paciente fique atento a quaisquer sintomas ou alterações na anatomia e entre em contato com o urologista para iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível.

O que muda nas relações sexuais com a prótese peniana?
Cada indivíduo tem uma experiência diferente, porém alguns fatores acabam mudando. A rigidez da cabeça do pênis, por exemplo, não altera durante a ereção e permanece mole. Outro fator é o desaparecimento do estímulo natural. O paciente precisará utilizar a prótese para atingir a ereção. O que não muda, no entanto, é a sensibilidade e a capacidade de ejaculação e, consequentemente, de ter filhos.

Confira o vídeo em que o Dr. Alessandro Rossol explica sobre prótese peniana:

Ainda ficou com dúvidas sobre a prótese peniana? Agende uma consulta e converse com o Dr. Alessandro Rossol.

Recomendamos para que, os pacientes que tenham interesse na colocação de uma prótese peniana, leiam o post https://www.alessandrorossol.com.br/blog/perguntas-e-respostas-sobre-protese-peniana/ . Este tópico de perguntas e respostas é um canal aberto com o  especialista. Ali o paciente poderá esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto. E se ainda permanecer algum questinamento, escreva, envie sua pergunta. Ou marque uma consulta para um atendimento com o Dr. Rossol.

No vídeo acima apresentamos o aspecto do pênis de dois pacientes submetidos a implante de prótese peniana semi-rígida. Os vídeos foram gravados quatro semanas após a cirurgia, quando normalmente o paciente é reavaliado e liberado para reiniciar as relações sexuais.

Fontes:
https://www.tuasaude.com/protese-peniana/

Prótese Peniana

Qual a indicação médica da cirurgia de prótese peniana?

Como funciona o implante peniano?


https://blog.drpaulo.com.br/blog/tipos-de-protese-peniana-como-escolher
https://www.youtube.com/watch?v=niduMuaAfeA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Download Formulários

Biópsia por Agulha

Biópsia Prostática

Cirurgia da Curvatura Peniana na Doença de Peyronie

Cistolitotomia

Cistolitotomia Videolaparoscópica

Cistolitotripsia Transcistoscópica

Colocação de Cateter Duplo J Trasureteral

Correção Cirúrgica de Incontinência Urinária

Geral - Operações Cirúrgicas

Implante de Prótese Peniana Maleável

Litotripsia Extracorpórea por Ondas de Choque (LECO)

Nefrectomia Parcial por Calculose

Nefrectomia Radical com ou sem Linfadenectomia Retroperitonial

Nefrectomia Videolaparoscópica

Nefrectomia Videolaparoscópica do Rim Doador do Transplante Renal

Nefrolitotomia Anatrófica por Calculose Renal

Nefrolitotomia Simples por Calculose Renal

Nefrolitotripsia Associada à Endopielotomia Percutânea

Nefrolitotripsia Percutânea

Nefrolitotripsia Transureteroscópica

Nefrolitotripsia Transureteroscópica com Endopielotomia

Nefropaxia Videolaparoscópica

Nefrostomia Percutânea

Orquidopexia

Orquiectomia Bilateral

Orquiectomia Unilateral por via Inguinal

Pielolitotomia (Calculose Renal)

Pieoloplastia Videolaparoscópica

Postectomia

Prostatectomia para H.P.B. Transvesical ou Retropúbica

Prostatectomia Radical Retropúbica com Linfadenectomia

Prostatectomia Radical Videolaparoscópica

Ressecção Transuretral da Próstata

Ressecção Transuretral de Tumor Vesical

Tratamento Cirúrgico da Hidrocele

Tratamento Cirúrgico da Varicocele

Tratamento Cirúrgico Videolaparoscópico de Cisto Renal

Tratamento Endoscópico da Ureterocele

Ureterolitotomia

Ureterolitotripsia Transureteroscópica

Uretrotomia interna

Ureterolitotomia Videolaparoscópica

Nefroureterectomia Videolaparoscópica

Uretroplastia

Vasectomia

Correção cirúrgica de tortuosidade peniana congênita

Open chat
1
💬 Alguma dúvida?
Olá 👋🏻 Podemos te ajudar?